Caso ZENIT e o Decreto do PT não foi o primeiro


Allan L. Dos Santos

Estimados leitores, não quero que estes artigos sobre o site Católico ZENIT.org parecem um ataque ao site, pois não é o que queremos. Entretanto, é um fato que o site possui conflitos entre editores e jornalistas, onde aqueles acham que a estratégia de calar-se sobre os golpes do PT, sempre feitos na surdina, é uma atitude sábia, e estes, cientes de que se o PT não for por ninguém desmascarado, será o fim do jornalismo. É um conflito já público.

Pois bem, o Instituto Vera Fides, do qual faço parte, é claro e firma em afirmar que não se pode calar sobre isso. Compreendemos que podemos desmascarar estes projetos em vários meios de comunicação, não exclusivamente por meio do site ZENIT.org, que presta um grande serviço. O que lamento, com grande dor, é a visível sonolência – não apenas do ZENIT, mas demuitos meios de comunicação Católicos! – diante destes ataques tão sinistros do Foro de São Paulo.

O outro artigo que foi retirado do ar, que sequer em cache pode ser encontrado [http://goo.gl/vJ0DSm], é o que foi re-publicado pelo site ocatequista.com.br: http://ocatequista.com.br/archives/13548

Diante do PT e do Foro de São Paulo, ou agimos, ou seremos calados. Até quando, ZENIT?

Jornalista do Zenit afirma que artigo foi erro editorial


Estimados amigos, recebi hoje uma mensagem de N., jornalista da Zenit, a qual sofre para manter seu apostolado de jornalismo católico. O fato ocorrido foi explicado nesta mensagem da seguinte maneira:

Caro Allan, o artigo da zenit não foi censurado não. Foi retirado do ar por não ser da linha editorial da agência. Foi um erro de um jornalista. Só isso.

Se possível, pediria que você editasse o seu post para não darmos mais voltas a esse tema. ZENIT é uma empresa muito pequena e, em época eleitoral, podemos levar pesadas multas por causa de um artigo desses.

Jamais impediria o trabalho honesto e sério de algum católico e por isso publico a carta que recebi. Apesar de discordar do recuo, pois se o PT e sua corja continuar no poder não haverá jornalismo de qualquer espécie, entendo que cada peça do xadrez é distinta, embora, útil. A ZENIT optou por recuar, nós não.

In CHRISTO,
Allan L. Dos Santos

Comunismo: Ópio do Povo


Mons. Fulton J. Sheen

Bispo Auxiliar de Nova York

Comunismo: Ópio do Povo

EDITORA VOZES Ltda., PETRÓPOLIS, R. J.

RIO DE JANEIRO — SãO PAULO

INTRODUÇÃO

O Comunismo é essencialmente anti-religioso.

Depois da revolução de Outubro de 1917, foi gravada nas paredes do antigo Paço Municipal de Moscou, defronte da Igreja da famosa imagem da Virgem Ibéria[1], esta inscrição: “A Religião é o Ópio do Povo”. Esta inscrição foi tirada de um dos escritos de Karl Marx intitulado: Crítica da Filosofia do Direito de Hegel. Já em 1844 Marx dissera: “A crítica da religião é o começo de toda crítica”. A orientação anti-religiosa do Comunismo subsistiu até o presente. O sexto Congresso Mundial, levado a efeito em 1928, estabeleceu o programa do Partido Comunista em relação à religião: “A luta contra a religião, o ópio do povo, ocupa importante posição entre as tarefas da revolução cultural. Esta luta deve ser levada avante persistente e sistematicamente”. Mais tarde, na segunda conferência do Instituto Anti-religioso, realizada em Moscou a 15 de Junho de 1934, o Bezbojnik, jornal anti-Deus, declarou que “a educação comunista da criança requer explicitamente a educação anti-religiosa”. Em Maio de 1935, recordando o efeito do programa anti-religioso dos comunistas, ele declarava: “Fechamos todas as casas de ópio”. Isto era o cumprimento da política de Marx tanto como da de Lenine, que, a 16 de Dezembro de 1905, escrevera: “O nosso programa comunista inclui a propaganda do ateísmo” (Novoya Zhizn N.º 28). Continue reading

Ideologia de Gênero na legislação brasileira


Padre Anderson Batista:

Um vídeo imprescindível com duas grandes aulas, especialmente a do Padre Jose Eduardo, sobre a ideologia de gênero na educação e suas origens, fundamentos e objetivos.

Este vídeo deve ser assistido, estudado e divulgado. O futuro do Brasil e do mundo depende disto.

As condições para a Consagração da Rússia


por Gregorius D. Hesse, S.T.D., J.C.D. (Cand.)

1. INTRODUÇÂO:

Ouvimos dizer, já há algum tempo, que o Papa iria consagrar o mundo ao Imaculado Coração de Maria no próximo dia 8 de Outubro. Escrevo este artigo em Setembro, não para predizer as acções do Papa em Outubro (não sou nenhum profeta), mas para delinear as condições necessárias para uma consagração correspondendo aos pedidos de Nossa Senhora e as possibilidades do que possa vir a acontecer. Vários factos que irão ser mencionados já foram amplamente discutidos em números anteriores de The Fatima Crusader, e por isso farei por evitar repetições desnecessárias. Continue reading